terça-feira, 25 de novembro de 2014

vou googlar...Wikipreju!

A empresa Google Brasil Internet LTDA. foi condenada a indenizar no valor de R$ 50 mil, autor de música que estava sendo atribuída a terceiros. A decisão é da Juíza Rosaura Marques Borba, da 4ª Vara Cível do Foro Central de Porto Alegre, que também determinou a retirada de todos os vídeos do YouTube que atribuam interpretação ou associação da música Te gosto demais a outros artistas que não a banda D-Tones.

O músico Tony de Lucca, autor da ação, argumentou que compôs a letra e a melodia da canção Te gosto demais, sendo o titular da propriedade intelectual da composição. Entretanto, em 2008 foi informado por diversos usuários da internet que a obra teria sido cadastrada no Youtube como sendo de interpretação de outro artista, o grupo musical Pimentas do Reino.

Desde então, o autor afirma ter efetuado diversos pedidos administrativos junto aos responsáveis pelo site, no sentido de que fossem retirados do ar os vídeos que associavam sua música a outro artista, sem atendimento.

A empresa ré alegou que a veiculação da música acontece por meio de terceiros e que os dados são fornecidos pelos usuários cadastrados, não sendo possível o controle, obtenção e guarda das informações, havendo apenas o controle dos acessos no site de hospedagem.

A Juíza de Direito Rosaura Marques Borba ressaltou que a demanda incide nas normas previstas no Código de Defesa do Consumidor, pois a empresa Google se adequa ao conceito de fornecedora de serviços. Salientou que no YouTube, apesar de não ser remunerado de forma direta pelos usuários, remanesce de forma indireta a atividade lucrativa da requerida através de veiculações publicitárias, situação apta a deixar clara a existência da relação de consumo, afirmou a magistrada.

A Google foi condenada ao pagamento de indenização por danos morais no valor de R$ 50 mil ao autor da ação. Além disso, determinou que a empresa retire do site todos os vídeos que atribuam interpretação ou associação da música Te gosto demais a outros artistas que não o autor, sob pena de multa diária de R$ 500,00  limitada ao teto de R$ 50 mil.

TJRS

domingo, 23 de novembro de 2014

Defensor da "cura gay" se casa... com um homem!!

O ex-líder do grupo norte-americano que defende a "cura gay", acaba de ir contra aos seus antigos ideais e se casou com outro homem, segunda a a agência de notícias The Lone Star Q.

Por 18 anos,  John Smid foi diretor-executivo do grupo “Love in Action”. O grupo acredita que a opção sexual de uma pessoa podem ser mudada, principalmente se ainda é criança. Agora, ele oficializa sua união com Larry McQueen.

Em sua página no Facebook John postou: “Conheci McQueen aos poucos, até chegar ao momento de querermos uma relação amorosa. Saiamos e percebíamos que compartilhamos as mesmas ideias, valores de fé. Uma compatibilidade confortável e emocionante.”

Catraca Livre

Saiba mais sobre o Poder Judiciário